Rafael Picanço

Cientista Comportamental


Possuo graduação em Psicologia (2010) e mestrado em Teoria e Pesquisa do Comportamento (2013), ambos pela Universidade Federal do Pará. Minhas especialidades são Aprendizagem e Processos Motivacionais, com ênfase em Análise Experimental do Comportamento, atuando principalmente nos seguintes temas: pesquisa com macacos-prego (Sapajus spp) em cativeiro e processos básicos de aprendigem como equivalência de estímulos, discriminação condicional e discriminação simples. Atualmente sou aluno de doutorado (2014-2018) em Teoria e Pesquisa do Comportamento, na mesma universidade, e meus interesses de pesquisa são visão computacional, rastreamento ocular e suas interseções com processos básicos de aprendizagem.


200x200

Free-mtrix é um par de programas de computador escritos para o LACS-UFPA (Laboratório de Comportamento Social e Seleção Cultural da Universidade Federal do Pará). Eles permitem o planejamento e a apresentação de experimentos baseados em tarefas de escolha semelhantes àquelas documentadas por Vichi, Andery e Glenn (2009). Cada participante pode escolher elementos de uma matrix e o cientista determina quais serão as consequências individuais apresentadas a cada participante bem como quais serão as consequências sociais apresentadas ao grupo.

O programa Designer é usado para o planejamento de experimentos sociais por meio do preenchimento de um formulário pelo pesquisador. O formulário é curto (~10 min) e utiliza a terminologia da análise do comportamento, tornando-o intuitivo aos pesquisadores da área. Todo o processo de preenchimento é salvo automaticamente. Ao final, um arquivo de configuração do experimento é disponibilizado para uso, reuso, arquivamento ou edição.

Por meio dos arquivos de configuração, o programa Runner é usado para a apresentação de experimentos aos participantes de um pesquisa e para a interação entre eles por meio de um chat. O registro das escolhas e da interação é automático e em tempo real. Por meio da magnífica biblioteca ZMQ, o programa pode ser executado em um único computador, para testes por exemplo, ou pode ser facilmente configurado em uma rede local com múltiplos computadores.

Free-mtrix é livre (GPL3) e todo os dados gerados são registrados em um formato de texto plano, aberto e acessível.

Usando um jargão técnico, o programa foi feito para o estudo experimental de macro e metacontingências, bem como para o estudo de concorrência entre contingências individuais e sociais.

Para mais detalhes sobre macro e metacontingências, ver:

Vichi, C., Andery, M. A. P. A., & Glenn, S. S. (2009). A metacontingency experiment: the effects of contingent consequences on patterns of interlocking contingencies reinforcement. Behavioral and Social Issues, 18, 41-57. doi: 10.5210/bsi.v18i1.2292
200x200

Projeto de doutorado em andamento. O objetivo é de replicar o efeito com participantes humanos e descrever movimentos oculares típicos potencialmente correlacionados. Este projeto tem usado a plataforma Pupil para rastrear os movimentos dos olhos a um software livre de controle de estímulos para a execução de experimentos comportamentais. O laboratório depende de um único computador e um botão de respostas DIY. A despeito disso, um aparato mais complexo tem sido avaliado, adicionando mobília ergonômica básica, um computador adicional, um projetor e uma tela de projeção DIY.

200x200

A ferramenta é um trabalho em construção e pode ser extendida para executar um amplo espectro de experimentos comportamentais. Em seu estado atual, ela pode ser usada para o planejamento, apresentação, arquivamento e registro de experimentos complexos sobre o efeito de aspecto positivo e experimentos simples de orientação visual. A ferramenta tem como objetivo permitir a programação rápida de experimentos, exigindo poucos clicks e um conhecimento prévio básico sobre seu funcionamento. Ela suporta a execução de sons (utilizando a biblioteca Bass), videos (por meio do component LCLVLC e da biblioteca libvlc ) e imagens (jpg, bmp) como estímulos (antecedentes, ou consequentes). Ela suporta diversos tipos de requisitos de respostas, ou tecnicamente, esquemas de reforçamento (FR, FI, VR, VI, FT, FI, DRH, DRL, DRO, componentes múltiplos, etc). Há classes já implementadas para a execução de Textos/Mensagens, Discriminações simples e Discriminações condicionais como tentativas. Os estímulos podem ser apresentados tanto sucessivamente quanto simultaneamente. Rastreamento de clicks no mouse (ou toques sobre telas sensíveis) foi implementado nessas duas últimas classes. Planejamentos do tipo "Tentativa discreta" ou "Operante livre" também são possíveis. A ferramenta tem sido desenvolvida para ser multi plataforma; ela foi compilada no Windows (7, 8 e 10), no Crunchbang 11, no Ubuntu (13.10 e 14.10) e no Debian 8. Trata-se de uma ferramenta livre e gratuita (GPL3) escrita em Object Free Pascal (Lazarus 1.6.0, FPC 3.0.0).

200x200

O laboratório da Escola Experimental de Primatas é um braço do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia sobre Comportamento, Cognição e Ensino (INCT-ECCE). A escola está localizada na Universidade Federal do Pará, Brasil. Seu objetivo é ensinar, principalmente a primatas não humanos, habilidades entendidas como pré-simbólicas ou parecidas com linguagem. A metáfora da "escola" tem sido utilizada em um ambiente de pesquisa básica para referir-se a um currículo de ensino individualizado, construído de tarefas simples para complexas, nesta ordem. O planejamento de pesquisa ocorre por meio de delineamentos com cada sujeito como o seu próprio controle. Ela depende de diferentes estratégias metodológicas para a construção de pré-requisitos. Os estudantes não são forçados a estudar. Eles recebem aulas apenas se assim escolhem fazer. Como consequência disso, os professores dependem de procedimentos meticulosamente programados baseados em apresentação de comida para dar a melhor experiência de aprendizagem aos seus estudantes. Assim, não são mantidos períodos extensos de privação e todos os alunos são bem alimentados duas vezes ao dia, com porções de frutas, ração, vegetais, suplementos e com livre acesso à água. Essas circunstâncias se aproximam de desafios da vida real, especialmente quando pessoas com desenvolvimento severamente atrasado são os estudates. Procedimentos automatizados e individualizados são os principais produtos desse ambiente de pesquisa básica. Para fazer isso acontecer, muito esforço foi realizado pela equipe no sentido de desenvolver soluções de hardware e software. É digno de nota eu ter sido capaz de cooperar com cientistas da computação, seja testando softwares, seja discutindo boas práticas e estratégias, e inclusive implementando as funcionalidades necessárias para o meu próprio trabalho. Tenho muito orgulho de ter ajudado outros a usufruir dos produtos do meu trabalho. Por fim, tenho muito orgulho de ter sido um professor da Escola Experimental de Primatas.

Para uma descrição mais detalhada do escopo desse tópico de pesquisa:

McIlvane, W. J., Dube, W. V., Serna, R. W., Lionello-DeNolf, K. M., Barros, R. S., & Galvão, O. F. (2011). Some Current Dimensions of Translational Behavior Analysis: From Laboratory Research to Intervention for Persons with Autism Spectrum Disorders. In E. A. Mayville & J. A. Mulick (Eds.) Behavioral foundations of effective autism treatment, (pp. 155–181). Cornwall-on-Hudson, NY: Sloan Publishing.